Escolha uma Página

Ensino a distância veio para ficar, garante presidente da Ocemg

Ronaldo Scucato acredita que questão de segurança por causa da pandemia de coronavírus vai ser aliada à questão do custo nesta nova realidade

O presidente da Organização de Cooperativas de Minas Gerais (Ocemg), Ronaldo Scucato, não teve dúvidas ao afirmar que a questão do Ensino a Distância (EAD) é uma ferramenta que veio para ficar, independentemente do fim da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) ou não. Scucato fez a afirmação na Live do Tempo realizada nesta quinta-feira (4), ao dizer que a questão da segurança, exigida pelo distanciamento social, vai se aliar à questão do custo, que fica menor.

“Todas nossas cooperativas do setor começaram a funcionar à distância e isso não tem volta no Brasil, tanto por questão de segurança quanto de custo. Inclusive, esperamos que o Ensino a Distância (EAD) tenha tanta qualidade como o presencial. Nossa gerência de capacitação de educação trabalha intensamente com a Fundação Dom Cabral, adaptando nossos cursos para o EAD”, garantiu.

Uma das forças desse setor cooperativo está ligado ao sistema de Menor Aprendiz, que nem mesmo a pandemia foi capaz de parar, garantiu o presidente.

“No caso do Menor Aprendiz, temos convênios com a Rede Cidadão em todo o Estado, e onde a rede não atua estamos com associações comerciais atendendo a todas as demandas das cooperativas para colocar o aprendiz em funcionamento, assim como os demais cursos”, garantiu.

Segundo Scucato, outros setores abrangidos pela Ocemg também estão tendo boa assimilação neste período de crise, como a de agronegócio e de saúde, que está na linha de frente no combate à pandemia.

“Por meio das Unmeds temos heróis, na linha de frente da batalha contra a pandemia. No agronegócio não paramos, continuamos trabalhando, produzindo e abastecendo os mercados. Temos exemplos típicos de cooperativas que continuam com a produção, não paralisaram a produção, como a de São Gotardo, maior produtora de cenoura e alho do país. O café está em plena colheita, grãos todos plantados, distribuídos e exportados”, completou.

Fonte: https://www.otempo.com.br